Bento XVI: o Papa da Humildade!




Nestes últimos minutos do pontificado do Papa Bento XVI, gostaria de expressar minha estima, meu respeito e minha reverência a este homem que dá um belo testemunho de humildade ao deixar a Cátedra de Pedro. Enfim, gostaria de transmitir-vos (como muitos sabem) meu amor pelo Sumo Pontífice, amor este que foi colocado em meu coração pelo próprio Jesus Cristo.

No início de seu ministério petrino percebemos sua profunda humildade: “Neste momento, eu, frágil servo de Deus, devo assumir esta tarefa inaudita, que realmente supera qualquer capacidade humana. Como posso fazer isto? Como serei capaz de o fazer? (...) O meu verdadeiro programa de governo é não fazer a minha vontade, não perseguir ideias minhas, pondo-me contudo à escuta, com a Igreja inteira, da palavra e da vontade do Senhor e deixar-me guiar por Ele, de forma que seja Ele mesmo quem guia a Igreja nesta hora da nossa história.”[1]

Trago dentro de mim que uma vida doada ao Reino de Deus é uma vida feliz, e tenho a certeza que esta felicidade preenche todo o coração, pois este mesmo coração se encontra inquieto enquanto não repousa em Deus, como bem nos lembra Santo Agostinho. Bento XVI foi esta pessoa que buscou na sua vida, no seu pontificado a felicidade, felicidade esta que como ele mesmo nos lembra em sua primeira encíclica Deus Caritas est, tem um nome, é uma pessoa, Jesus Cristo.

Ele soube guiar a barca de Pedro mesmo quando os ventos eram contrários, como ele mesmo nos afirma em sua última catequese: “senti-me como São Pedro com os Apóstolos na barca no mar da Galileia: o Senhor nos doou tantos dias de sol e de leve brisa, dias no qual a pesca foi abundante; houve momentos também nos quais as águas eram agitadas e o vento contrário, como em toda a história da Igreja, e o Senhor parecia dormir. Mas sempre soube que naquela barca está o Senhor e sempre soube que a barca da Igreja não é minha, não é nossa, mas é Sua[2].

Aquele que daqui a uma hora será o nosso Papa Emérito, amou a Igreja de Cristo mesmo nos momentos de sérias decisões, aliás, continuará amando até os últimos suspiros de sua vida, como ele mesmos nos diz: “Amar a Igreja significa também ter a coragem de fazer opções difíceis, árduas, tendo sempre em vista o bem da Igreja e não nós mesmos”[3]. Uma vida doada à Vinha do Senhor, um fiel servidor da Igreja Católica, um homem que sacudiu o mundo com suas palavras de renúncia: “Depois de ter examinado repetidamente a minha consciência diante de Deus, cheguei à certeza de que as minhas forças, devido à idade avançada, já não são idôneas para exercer adequadamente o ministério petrino. Estou bem consciente de que este ministério, pela sua essência espiritual, deve ser cumprido não só com as obras e com as palavras, mas também e igualmente sofrendo e rezando” [4].

O nosso querido papa nos deixa o legado de um verdadeiro homem de Deus, doado ao serviço da Igreja do Senhor e ao próximo, preocupado com a juventude, e assim ele nos diz: “Hoje, não poucos jovens duvidam profundamente que a vida seja um bem, e não veem com clareza o próprio caminho. De um modo geral, diante das dificuldades do mundo contemporâneo, muitos se perguntam: E eu, que posso fazer? A luz da fé ilumina esta escuridão, nos fazendo compreender que toda existência tem um valor inestimável, porque é fruto do amor de Deus. Ele ama mesmo quem se distanciou ou esqueceu d’Ele: tem paciência e espera; mais que isso, deu o seu Filho, morto e ressuscitado, para nos libertar radicalmente do mal. E Cristo enviou os seus discípulos para levar a todos os povos este alegre anúncio de salvação e de vida nova”[5].

Assim sendo, o Papa Bento XVI deixará saudades, disso temos certeza! Mas deixará, sobretudo um exemplo de um homem que soube em todos os momentos de sua vida viver o Evangelho.Foi o protótipo de um homem que soube em sua vida fazer a vontade de Deus, viveu o Fiat voluntas Tua! E continuará a viver. Obrigado Senhor pelo papa que nos destes, que destes a tua Igreja, obrigado pelo sucessor de Pedro!

Encerro esta reflexão de agradecimento pelos quase oito anos de pontificado do Papa Bento XVI com as próprias palavras dele em sua última catequese enquanto ainda exercia o ministério petrino: “Queridos amigos! Deus guia a sua Igreja, a apoia mesmo e sobretudo nos momentos difíceis. Não percamos nunca esta visão de fé, que é a única verdadeira visão do caminho da Igreja e do mundo. No nosso coração, no coração de cada um de vós, haja sempre a alegre certeza de que o Senhor está ao nosso lado, não nos abandona, está próximo a nós e nos acolhe com o seu amor. Obrigado!”[6]


Por Jeferson Galdino



[1] Homilia do Papa Bento XVI no início do seu ministério petrino, no dia 24 de Abril de 2005.
[2] Última Catequese de Bento XVI, na Praça São Pedro no dia 27 de Fevereiro de 2013.
[3] Ibdem.
[4]  Declaração de Renúncia, no Consistório para algumas Causas de Canonização, no dia 11/02/2013.
[5] Mensagem Do Papa Bento XVI para A XXVIII Jornada Mundial Da Juventude No Rio de Janeiro, em Julho de 2013.
[6] Última Catequese de Bento XVI, na Praça São Pedro no dia 27 de Fevereiro de 2013.

0 comentários:

Postar um comentário

Jefferson Galdino

"Nada Antepor ao Amor de Cristo"!

"Nada Antepor ao Amor de Cristo"!

Santíssima Virgem Maria

Santíssima Virgem Maria

Papa Francisco

Papa Francisco
Oremus pro Pontifice nostro Franciscum. Dominus conservet eum, et vivificet eum, et beatum faciat eum in terra, et non tradat eum in animam inimicorum eius. Tu es Petrus et super hanc petram aedificabo Ecclesiam meam; et portae inferi non praevalebunt adversum eam.

Sobre mim...

Minha foto
Jefferson Galdino
Sou um jovem que aspira o sacramento da Ordem, quero ser padre, para atender as exigência de Cristo na minha vida. Sou natural da cidade de Paulo Afonso-Ba, mas atualmente resido no Seminário Dom Mário Zanetta em Feira de Santana-Ba. Procuro me alimentar diariamente da Mesa da Palavra e da Mesa Eucarística. Que o Deus da Vida possa me fortalecer a cada dia e que a Virgem Maria passe a frente de todos os meus planos.
Visualizar meu perfil completo
Tecnologia do Blogger.

Seguidores

Conheça Também

  • Ninguém pode crer só para si mesmo, como também ninguém consegue viver só para si mesmo. Recebemos a fé da Igreja e vivemo-la em comunhão com todas as pess...
  • É o cotidiano e suas manifestações nos falam de uma forma ás vezes tão rápidas que nos esquecemos de olhar a fundo o significado dele em nossas vidas, j...
  • Our old blog that we made like this one was ruined because people where simply ripping.. stealing in other word our articles from our blog that we wrote an...
  • Cristo ressuscitou verdadeiramente...Aleluia...Experimentemos, portanto, a face do Senhor que caminha conosco, explica as Escrituras e parte o pão...
  • Encontro da Pascom em Paulo Afonso Aconteceu nos dias 19, 20 e 21 de Maio de 2014, na Diocese de Paulo Afonso, um encontro sobre Pastoral da Comunicaçã...
  • A definição de Ordinário é aquela mesma que está nos dicionários: "Aquilo que está na ordem das coisas habituais; comum, useiro, vulgar; costumado, normal...
  • Pergunta difícil de ser respondida principalmente pela pluralidade que ela traz nas principais palavras: IGREJA E JOVENS. Somo uma só Igreja, m...
  • *Por: Seminarista José Neto Leal Matos, 2º Ano de Teologia * Deus na sua bondade e misericórdia nos deixou sinais visíveis da sua atuação no mundo por m...
  • O apelo à unidade é uma exigência de testemunho. Fomos criados à imagem e semelhança de Deus - Trindade, unidade indivisa. O amor, elo de ligação das difer...

LITURGIA DAS HORAS

Pesquisar este blog